• pt
  • en
  • es
  • GESTÃO E TRATAMENTO DE ÁGUA |

    ESTUDO DE CASO

    Estudo hidrogeológico – restrição de água subterrânea – DAEE

    • Estudo hidrogeológico sobre a restrição e o controle de uso da água subterrânea. Publicado em formato de livro.

    • Idealizado em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente, a Secretaria de Saneamento e Energia, o Instituto Geológico e o DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo.

    O estudo foi feito na região de Jurubatuba, na capital de São Paulo, e é utilizado como ferramenta gerencial por diversos órgãos, como o DAEE, a Cetesb e a Secretaria de Vigilância Sanitária. Pela sua relevância, integra o “Projeto Estratégico Aquíferos”, do Governo do Estado de São Paulo.

    Estudo hidrogeológico no Município de Sete Lagoas

    • Avaliação dos recursos hídricos subterrâneos do Município de Sete Lagoas, em Minas Gerais, abrangendo uma área de 539 km2.

    • O projeto, com prazo de 24 meses, teve aplicação de metodologia exclusiva. Sua avaliação foi elaborada de modo a identificar e delimitar áreas de recarga dos aquíferos, assim como as potenciais fontes de contaminação e a definição das áreas de risco geológico deste município.

    • Resultados do estudo: mapas de vulnerabilidade e de potencial de disponibilidade hídrica subterrânea de Sete Lagoas.

    • O projeto envolveu a implementação de uma ferramenta para coleta e controle das informações sobre o sistema de abastecimento, com capacidade de incorporar os novos dados e fornecer respostas atualizadas. Também foi criado um plano de gestão de recursos hídricos e a regularização de poços pelo órgão estadual competente, o IGAM – Instituto Mineiro de Gestão de Águas, com indicadores para o controle de ameaças aos recursos hídricos e ações de médio e longo prazo.

    Avaliação da disponibilidade hídrica e áreas potenciais para captação de recursos hídricos subterrâneos para unidade industrial de cosméticos

    • A partir da relação entre demanda versus disponibilidade dos recursos hídricos, em especial as águas subterrâneas na subbacia da região onde está inserida a unidade, foi avaliada a viabilidade de aumento de 100% do volume de captação das águas subterrâneas concedidos pelo Departamento de Água e Energia Elétrica – DAEE, para os poços de produção existentes na propriedade.

    • Principais atividades realizadas: caracterização da sub-bacia; avaliação da disponibilidade hídrica subterrânea da sub-bacia; estimativa de demanda e tipos de uso da água; ensaios hidráulicos nos poços de produção; e indicação de áreas potenciais para instalação de poços produtivos na propriedade.